fbpx

SOLIDARIEDADE E EMPATIA SÃO ARMAS CONTRA O ÓDIO

“O ódio precisa ser combatido e apenas o diálogo e a aceitação da diversidade podem trazer a paz social.” Jacinda Ardernconhecida por combate à Covid-19 venceu as eleições da Nova Zelândia para primeira-ministra. Foi a maior vitória de seu partido em quase meio século de história.

A vitória de Jacinda Ardern nas últimas eleições da Nova Zelândia, reacenderam em mim a esperança de uma política na contra mão do que acompanho, atualmente, em vários países do mundo. Os Estados Unidos, assim como o Brasil, minimizaram os efeitos do novo coronavírus o que nos rendeu mais de 154 mil mortes e 5 milhões e 250 mil casos de coronavírus até aqui. Os Estados Unidos registram mais de 210 mil  mortes e mais de 8 milhões de casos do novo coronavírus.

Enquanto isso, Jacinda ficou conhecida mundialmente pela gestão da crise da Covid. Ela tomou medidas assertivas, na luta para unir o país contra a covid-19 o que se tornou um marco no combate à pandemia. E ainda que, um ano antes, um ataque da extrema-direita, tenha deixado o saldo de 50 pessoas em seu país. a primeira-ministra não usou o evento para insuflar o desejo de vingança em toda a população. E sequer usou os enterros como palanque. Ao contrário, em menos de uma semana, leis foram aprovadas para endurecer o acesso às armas.

Depois de sua vitória, no último sábado (17), Jacinda Ardern nos convidou a uma reflexão: “Estamos vivendo em um mundo cada vez mais polarizado. Um lugar onde mais e mais pessoas perderam a capacidade de ver o ponto de vista uns dos outros. Espero que com esta eleição, a Nova Zelândia tenha mostrado que não somos assim”.

Eu também espero. Esse resultado é a prova de que há poder construtivo na conciliação que é avessa ao discurso de ódio. É possível cuidar da paz e equilíbrio social com uma política antirracista, com salários dos políticos congelados, licença-maternidade de 6 meses, ampliando cotas para receber refugiados, entre outras medidas. Passou da hora de entendermos a empatia como a base para a solidariedade de fato, em que aprendamos a enxergar a humanidade no outro como um primeiro passo para que ele mesmo comece a praticá-la.

Se o verbo hoje, na Nova Zelândia é “to Ardern up”, o meu, por aqui, é esperançar.

Por Selma Sueli Silva

Acesso em: https://omundoautista.com.br/solidariedade-e-empatia-sao-armas-contra-o-odio/

Deixe uma resposta

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
});